20130822

Manifesto "Porra no chão"!


nenhum ato é mais exemplar do desperdício de potencial que o esporrar no chão

não há nada
e aí quando passa a haver uma coisa insignificante como a porra de um homem
que não vale nada por si mas tem supostamente todo o potencial de se tornar GRANDE

derramá-la
na mão,
no chão,
no papel higiênico,
nas pantufas

ESCREVER MADRUGADA ADENTRO
SEM PENETRAR ADENTRO DE NADA

APENAS O ATO
O GESTO
E A FRUIÇÃO
QUE NEGA TODA POSSIBILIDADE DE DESENVOLVIMENTO
NO ÚNICO MOVIMENTO SINCERO

QUE ENVOLVE TODO O CORPO
EM PARTE

ou então

LIGAR UMA CÂMERA PARA CAPTAR O GOZO INDIVIDUAL
QUE TALVEZ CAUSE COMOÇÃO ALHEIA
PROVAVELMENTE SOBRANCELHAS SOERGUIDAS

porra, nem a porra pode nada, porra

DESPERDICEMOS A JUVENTUDE
JOGUEMOS NO LIXO
LIGUEMOS A TORNEIRA
LAVEMOS DISPLICENTEMENTE AS MÃOS

porque é com essas mãos que construiremos
porra nenhuma

(e é também com elas que cumprimentaremos

aliados
e
adversários)



3 comentários:

  1. Afinal,
    fazer alguma coisa nunca leva a porra nenhuma mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Aliás, ainda da sua obra: porra, literatura, porra.

    ResponderExcluir